O site da Blog Uma Diva No Divã utiliza cookies. Saiba mais sobre nossas Políticas de Cookies clicando aqui. Ao navegar você concorda com a sua utilização.
Saiba mais sobre os cookies em nossa Advertência Jurídica e Políticas de Privacidade

A Máquina de Café

A Máquina de Café

Hoje, Eu Ganhei de Presente da Minha Mãe, Uma Máquina de Café!

Café faz parte da minha rotina, assim como da rotina de muita gente. De manhã para ajudar a despertar, no trabalho para nos mantermos alertas e também para nos socializarmos.

É bem simples operar uma máquina de café caseira, mas no consultório onde eu fazia psicanálise tem uma máquina dessas também.

Mas, é engraçado que aquela máquina não era nada amigável comigo. Nunca funcionava direito pra mim, sempre dava algum problema que eu não conseguia enxergar qual era, e tinha que pedir ajuda.

É curioso como uma máquina de café me ajudou a me ver um pouco mais de perto.

Quando me queixei sobre a máquina, meu analista me disse que não havia nada de errado com a máquina. Ele me desafiou a pensar e identificar o que eu estava fazendo que fazia com que ela não funcionasse corretamente.

Ele também sugeriu que aquela situação poderia indicar a minha maneira de funcionar mentalmente e que isso teria uma implicação direta em meus sentimentos e comportamentos em relação as circunstância e as pessoas.

Meu sentimento era de que aquela máquina tinha algum problema “pessoal” contra mim, porque ela parecia funcionar bem com as outras pessoas. Mas, busquei e encontrei dentro de mim humildade suficiente para me dispor a refletir.

B I N G O!

Não é que havia mesmo lições a serem aprendidas com situação? Eu identifiquei rapidamente que não havia nenhum problema com a máquina, e que eu não estava fazendo coisas básicas, porém necessárias, para que ela pudesse funcionar bem.

Uma das vezes, eu não tinha ligado a máquina, pode? Outra não tinha colocado a cápsula do café, meu Deus, que elementar? Em outro momento, sua capacidade de descarte estava no limite, e assim foi…

Observando e Aprendendo

Eu já tinha notado que a gente pode aprender com as circunstâncias, que de certa forma, as coisas e situações falam com a gente.

Em meio aos lapsos e atos falhos, estamos recebendo mensagens de nós mesmo, vindas do nosso inconsciente o tempo todo. Só precisamos estar atentos para “escutá-las”. Claro, que com um profissional atento e preparado para te ajudar, tudo fica mais simples.

Nem preciso dizer que esta situação com a máquina de café foi um prato cheio para a sessão daquele dia, né?

Acabei colhendo bons resultados disso. Aprendi a olhar para dentro de mim e identificar minha parcela de responsabilidade quando as “coisas” não estão funcionado de acordo com minha expectativa.

Agora, paro, olho, reflito e depois sigo!

Vambora?

Envie seu comentário

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE